Artigo: Passagem não é experiência
 

Artigos no Empregando Brasil

Você também gostaria de escrever um Artigo para o Empregando Brasil? Entre em contato conosco. Esse é um espaço aberto para todos os profissionais que queiram agregar informações relacionadas ao mercado de trabalho

Passagem não é experiência por Eduardo Colamego

Ao longo dos processos de recrutamento e seleção de pessoas que realizei e realizo, vejo currículos cheios de “experiência” onde prefiro chamar cheios de passagens, passa ali fica dois meses, passa aqui fica três meses, a cola fica dois meses de novo e assim a pessoa vai inserindo no currículo acreditando que isso é experiência relevante. Pode até ser uma experiência, mas, está mais para experiência de laboratório e do tipo que não dá certo pra vida. Esse tipo de comportamento itinerante, ou essas passagens bem “fast”, não agregam nada além de desconfiança da pessoa que está avaliando tal currículo.

 

Cuidado! Para ser experiente de verdade, dominar o assunto, é preciso tempo, é preciso ter consistência profissional.

 

Não adianta entrar em uma empresa e ficar apenas 90 dias e partir para outra, vejo pessoas que passam em um ano por quatro ou cinco empresas, isso é absurdo! Como é possível alguém acreditar que está crescendo ou adquirindo experiência profissional consistente dessa forma?

 

Carreiras sólidas são construídas com o tempo e isso significa fazer história nas empresas, realizar trabalhos de resultado, influenciar positivamente, deixar uma bela marca e isso não é possível em um período mínimo menor que seis ou oito meses. O que importa é que se deve fazer estágios, adquirir essa vivencia, mas usar o estagio como ponte para o mercado, e trabalhar com o empenho máximo para que se houver chance você deixe em breve de ser estagiário e passe a ser de fato integrado a empresa.

 

O que parece é que alguns, “profissionais” gostam desse modelo estagio e viciam em ficar três meses nas empresas e mudam, quando não, arrastam-se no trabalho para atingir seis meses e ter direito ao seguro desemprego, lamentável!

Se você quer realmente construir uma carreira de sucesso lhe digo, dedique-se, busque ser útil, pense em melhorar um produto ou serviço, seja exemplo positivo, não fique morno, e fazendo isso, pense em ficar o máximo em uma empresa, evoluindo positivamente, hoje vejo pessoas entrarem em empresas já falando em tempo para conseguir o seguro desemprego. Esse é um pensamento fraco, quem pensa em ser reconhecido e ser visto como profissional de verdade e de prestigio, precisa ser consistente. Toda grande obra leva tempo, artistas dedicam horas, semanas, meses e anos para criar suas maravilhas esse é o pensamento.

 

É claro que se a empresa não oferece reconhecimento, condições de trabalho, respeito, ética e oportunidades, você deve sair e buscar uma melhor, mas se você tem isso tudo, procure fazer o melhor, adquirir muita experiência, conhecer o negócio, não se acomode, esse é o caminho para ser visto como profissional experiente e não pulando de galho em galho, em um ziguezaguear sem propósito, lembre-se, experiência profissional caminha junto de consistência profissional.

 

Sucesso!

Foto do Autor

Eduardo Colamego

Palestrante, formado em Gestão de Recursos Humanos, cursando MBA em Pedagogia e psicopedagogia empresarial, além de possuir diversos cursos na área de gestão de pessoas entre eles, Comportamento Organizacional, Ética e Relações Humanas no Trabalho, Desenvolvimento Pessoal e Profissional, Educação Corporativa, Empreendedorismo e Gestão do Conhecimento. Trabalhou com Treinamento e desenvolvimento de pessoas para grandes operações de call center, ministrando conteúdos de grandes clientes. Supervisionou e geriu equipes de atendimento, focado em qualidade, respeito e ética no tratamento com os clientes e colaboradores, utilizando o que chama de Gestão de Consciência: "Ninguém faz nada bem feito simplesmente porque foi uma ordem direta e ponto, se não está consciente do porque, e que resultado sua ação trará, dificilmente irá realizar um grande trabalho. É preciso mostrar o propósito, só transforma-se algo em realidade através da consciência".
Como consultor, dedica-se à pesquisa e ao estudo em cenários e tendências da gestão empresarial, em temas ligados ao desenvolvimento do capital intelectual, estratégias competitivas, mercado de trabalho, perfil profissional, criatividade, inovação e a melhoria da qualidade.